Trabalho autônomo: conheça os benefícios dessa modalidade de negócios

O trabalho autônomo pode ser mais interessante do que se imagina. Veja aqui quais são as modalidades e o que fazer para aproveitar as oportunidades de mercado.

18/09/2019 às 9:00

Neste artigo você vai conferir as vantagens de ser um profissional autônomo. Além disso, verá também quais são as modalidades disponíveis atualmente e qual é a mais adequada para a sua ideia de negócio. Que tal começar agora?

Você já parou para pensar nas opções de trabalho que o mercado oferece hoje? Ser registrado já não é mais a única forma de trabalho disponível. Hoje em dia existem modelos de trabalho alternativos que podem ser positivos para pessoas que por alguma razão não se encaixam mais no modelo “tradicional”.

O trabalho autônomo é justamente uma destas opções. Já que nele você trabalha por conta como um prestador de serviços para pessoas ou empresas. Em tempos de crise, ele pode ser uma das saídas para fugir do desemprego, mas também por quem tem o sonho de ser o próprio chefe.

Autônomo: grupo de profissionais conversando.
Ser um profissional autônomo é uma boa ideal em diferentes situações.

Além disso, a modalidade de trabalho é ideal para quem deseja prestar serviços e expandir sem a necessidade de ser contratado fixo de uma empresa. Mas antes mesmo de começar, temos essa pergunta para fazer: o que é ser autônomo? Você já parou para pensar?

De acordo com definições encontradas no dicionário, é ser “uma pessoa livre para determinar a sua própria conduta sem imposições de outras pessoas”. Atrativo, não é mesmo?

Segundo dados do IBGE, em 2017 cerca de 23,9 milhões de brasileiros já trabalhavam por conta própria. E a expectativa é que esse número cresça a cada ano.

Como começar?

Decidir ser autônomo é como abrir uma empresa, exige planejamento. Ou seja, não acontece de uma hora para outra. Inclusive, os resultados também podem demorar a aparecer. Por isso, exige paciência.

Antes de mais nada, saiba com o que deseja atuar. É importante ter a ideia central do seu negócio para, então, criar o planejamento estratégico da sua empresa. Esse documento deve conter características como “missão”, “valores”, “visão” e “objetivos”. É preciso ter tudo bem definido para seguir para a próxima etapa.

Autônomo: profissional sorrindo para a câmera.
Organização é fundamental para qualquer profissional que seja atuar como autônomo, independentemente da área.

Aliás, esses dados são o alicerce do plano de execução, que é como você vai agir para alcançar os objetivos definidos. Nesta etapa é fundamental ter bastante organização para medir, em tempo real, se os resultados têm sido os desejados. Inclusive, também é uma boa fase para corrigir rotas, detectar possíveis erros e adotar melhorias.

A ideia é fazer do seu portfólio uma vitrine das suas habilidades e do trabalho que você está apto a desempenhar.

Precauções importantes

Saiba que no começo nem tudo é fácil. Então, é preciso ter uma reserva financeira que seja capaz de suprir as suas necessidades nesse período inicial. Faça todos os cálculos antes de começar para verificar se efetivamente terá essa quantia disponível.

Além disso, como vitrine, é essencial investir em marketing. Como os consumidores geralmente integram as redes sociais, é essencial aprender como funciona venda e o atendimento por essas plataformas. Isso vai ajudar a aumentar as suas chances de sucesso.

Autônomo: um profissional apontando para o computador
Alguns investimentos são fundamentais, como marketing.

Busque sempre um diferencial competitivo para te colocar à frente dos concorrentes. Afinal, são essas características, aliadas à qualidade, que são capazes de tornar o seu serviço ou produto único.

Questões legais

Ter uma situação regularizada é essencial para qualquer tipo de negócio, inclusive para os autônomos. O caminho mais fácil e prático para iniciantes é abrir um MEI, sigla de Microempreendedor Individual. Tal cadastro fornece um CNPJ para o profissional, além de dispensar o pagamento de impostos sobre os notas emitidas.

Por isso, é uma ótima opção para quem deseja expandir sem gastar muito logo no início da vida da empresa. Aliás, fizemos recentemente uma reportagem sobre o tema, com todos os passos necessários para quem deseja se enquadrar nessa modalidade. Clique aqui para conferir.

Há diferenças entre profissional autônomo, liberal e MEI?

Já parou para pensar que os profissionais citados acima, apesar de trabalharem por conta, são diferentes? E são algumas características bastante específicas que definem as modalidades.

O profissional liberal, por exemplo, pode ter vários vínculos empregatícios com carteira assinada e até mesmo benefícios. Geralmente, são médicos, advogados e arquitetos, por exemplo. Sendo assim, eles conseguem atuar em diferentes empresas ao mesmo tempo e ainda são considerados profissionais liberais.

Em todos os casos, esses profissionais são representados por unidades de classe como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Conselho Regional de Medicina (CRM) e o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI).

Médicos podem ser profissionais liberais.

Inclusive, esses profissionais não possuem um CNPJ. Eles são pessoas físicas atuando em diferentes lugares, sem ter um vínculo empregatício com apenas uma empresa.

MEI

Já o MEI (Microempreendedor Individual) é uma empresa, que possui CNPJ, tem limite de funcionários e até mesmo de faturamento (até R$ 81 mil anuais).

Aliás, a modalidade pode ser um caminho natural rumo à evolução do autônomo. Ou seja, você começa com o MEI e pode evoluir para outros enquadramentos à medida em que o seu negócio crescer.

MEI: como cadastrar?
Site para cadastro do MEI.

Autônomo

O profissional chamado de autônomo pode ou não possuir um MEI. Ou seja, é possível atuar como pessoa física ou jurídica. Além disso, não precisa de certificação ou formação específica. Basta exercer o seu trabalho dentro das atividades que se propôs a entregar.

Além disso, não há a necessidade de haver carteira assinada. E o controle dos processos de trabalho fica sob a responsabilidade do próprio profissional. Portanto, essa modalidade não dá direito à carteira assinada. No entanto, o trabalho autônomo tem inúmeros benefícios:

  • Flexibilidade de horário (é possível escolher os horários em que você é mais produtivo).
  • Mobilidade (dependendo da área de atuação, não existe limitação física. Você pode trabalhar de qualquer lugar).
  • Autonomia (sem chefes ou regras duras é possível escolher como fazer as coisas e definir a melhor metodologia para o seu estilo de trabalho).
  • Carga tributária menor: para quem não é registrado ou é MEI, a carga de impostos é menor e acaba descontando menos do seu trabalho.
  • Lucros são 100% seus: não precisa se deslocar dependendo do trabalho executado. Inclusive, há a possibilidade de diversificar a área de atuação e ganhar mais. Isso vale não só em relação ao dinheiro, mas também ao tempo que você terá e, sobretudo, se pensarmos na qualidade de vida.
  • Além disso, há a satisfação pessoal e os direitos trabalhistas assegurados (basta continuar contribuindo com a previdência).
Há diferentes vantagens para quem deseja ser autônomo.
Há diferentes vantagens para quem deseja ser autônomo.

Mas como tudo tem um outro lado, atenção às desvantagens:

 – Flutuações financeiras (trabalhar por conta própria nem sempre garante um orçamento estável). Muitas vezes, os lucros variam e é preciso estar preparado para possíveis instabilidades. 

– Excesso de trabalho: o autônomo possui inúmeras tarefas para realizar e pode acabar sobrecarregado. Por isso, um bom planejamento é fundamental.

 – Procrastinação. Ou seja, a flexibilidade de horários é ótima, mas pode acabar dificultando a execução das tarefas. Você acaba deixando algumas coisas para depois e pode não terminar as tarefas necessárias dentro do prazo definido.

 – Dificuldade de fazer networking e trocar ideias, por acabar muito sozinho dentro do seu ambiente de trabalho. Para isso, coworkings aparecem como a solução ideal.

E a solução para tudo isso?

Um bom planejamento. É essencial traçar metas e, em seguida, desenvolver um plano de ação para definir como você vai conseguir cumpri-las. Nesse sentido, fazer uma gestão de todas as atividades também é essencial.

Assim, você não deixa nada pelo caminho e acaba concretizando os seus planos da melhor maneira. Afinal, ser autônomo é colocar o planejamento e a organização nos primeiros lugares da lista de prioridades.

E aí, busca mudar de área, correr atrás de um sonho ou então ganhar um dinheiro extra? Então, o mercado autônomo te espera. Agora, basta se planejar e mãos à obra!

Aliás, para te inspirar recentemente fizemos uma matéria com dicas de como abrir um e-commerce. Pode ser o primeiro passo para a abertura do seu negócio.

Além disso, já que estamos falando essa etapa tão importante, confira agora mesmo quais são os procedimentos necessários para quem deseja abrir empresas no Brasil.

Por fim, veja também quais são os segredos das startups que fazem sucesso em suas áreas! Mais uma vez agradecemos a sua companhia por aqui! E fique de olho no Blog Vivo Empresas para mais textos semelhantes.

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
EmpreendedorismoGestão
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio