Descubra como escolher o servidor ideal para seu negócio

Não sabe qual o melhor servidor para sua empresa? Saiba quais as opções no mercado e entenda qual a melhor para o seu negócio.

28/06/2019 às 9:00

Escolher um tipo de servidor para sua empresa é um tema que pode gerar muitas dúvidas para empresários que não têm muita afinidade com TI, já que são muitos tipos e termos técnicos, o que pode acabar confundindo quem precisa tomar uma decisão.

Para facilitar, vamos detalhar as opções disponíveis no mercado para te ajudar a escolher a melhor alternativa para o seu negócio.

Como escolher o servidor?

Os servidores têm como objetivo suportar diversos usuários na mesma rede e são projetados para executar diversas atividades, além de hospedar dados e gerenciar o tráfego de rede. Além disso, são capazes de fornecer a estrutura necessária para a intranet da sua empresa e ainda executar aplicações corporativas que são utilizadas em diversos terminais simultaneamente. Inclusive, também podem trabalhar para transmitir conteúdo audiovisual (streaming) ou fazer a transferência de arquivos pela internet.

Dessa forma, como há diferentes usos, é fundamental saber qual é a necessidade atual da sua empresa. Isso porque um servidor garante características importantes no dia a dia, como nível de segurança e estabilidade.

Um servidor não adequado às necessidades da empresa pode impactar negativamente o dia a dia de trabalho, deixando o sistema lento ou até mesmo fora do ar, dificultando o acesso simultâneo da equipe, entre outros problemas.

Por isso, saber exatamente para o que a empresa vai precisar do servidor é imprescindível para escolher o modelo correto.

Servidor: conheça os tipos disponíveis no mercado.

Saiba quais são as opções de servidores disponíveis para o seu negócio.

Servidor compartilhado

Como o nome indica, o servidor é partilhado por diversos clientes, que o acessam simultaneamente. Nesse caso, a grande vantagem é o valor, pois trata-se da opção mais econômica e também a mais popular no mercado. Aliás, o custo da infraestrutura montada para prestar o serviço é diluído entre os vários clientes que fazem uso da mesma.

Além disso, a manutenção e o monitoramento estão inclusos na mensalidade e não representam custos extras. Porém, a performance pode deixar a desejar, uma vez que é comum ter centenas de usuários ocupando a mesma plataforma. Cada um deles, inclusive o usuário da sua empresa, terá uma cota pré-definida de espaço em disco, capacidade de processamento e memória.

Portanto, se houver um pico simultâneo de uso, o servidor pode ficar sobrecarregado, deixando o acesso a aplicações e sistemas mais lento. Se o site da empresa estiver hospedado neste servidor, ele pode acabar ficando fora do ar.

No servidor compartilhado centenas de sites ocupam a mesma plataforma.

No servidor compartilhado centenas de sites ocupam a mesma plataforma.

Servidor dedicado

Nessa modalidade, a máquina é física e de uso exclusivo da sua empresa. Isso garante maior estabilidade, uma vez que todos os recursos do servidor estarão à disposição unicamente do seu negócio.

A plataforma tem capacidade para ser customizada de acordo com as necessidades do projeto, porque alguns sites demandam a execução de tarefas muito específicas para garantir o seu bom funcionamento.

Ponto positivo também para a segurança. Afinal, o uso de um servidor dedicado reduz significativamente as chances de invasões e roubo de dados. Dessa forma, somente seu projeto operará na máquina, o que facilita o monitoramento e diminui as brechas na segurança.

Além disso, é possível escolher entre uma administração da plataforma inclusa no pacote (feita pelo provedor do serviço) ou por uma conta própria, executada pela sua equipe de TI, caso você tenha.

Cloud hosting

É muito provável que já tenha ouvido o termo “cloud”, a famosa nuvem. Nesse formato, os dados e aplicações ficam armazenados em servidores virtuais e não físicos. Ou seja, em diversas máquinas interligadas e acessíveis por uma conexão de rede (assim como a internet), que em conjunto desempenham o papel de um servidor físico.

Portanto, o cloud hosting tem capacidade infinita de expansão. Uma vez que não se trata de uma plataforma física, com limitações de hardware, tem a capacidade de se ajustar às necessidades da empresa – aumentar ou diminuir – em tempo real. Por essa razão, também são conhecidos como servidores escaláveis. Isso é o que vai garantir a estabilidade do servidor, assegurando que as aplicações estarão sempre disponíveis.

A escalabilidade, aliás, é uma vantagem não apenas pela agilidade em adequar o tamanho do servidor à necessidade do momento, mas também porque o pagamento mensal varia conforme o uso e você só é cobrado pelo que utilizar.

Segurança e estabilidade são outros pontos positivos. Uma vez que o servidor virtual é formado por diversas máquinas trabalhando em conjunto, a probabilidade de falha é praticamente nula, pois o sistema opera em redundância. Assim, uma máquina estará sempre pronta para assumir o lugar da outra em caso de avaria.

Servidor: veja qual o melhor para sua empresa.

O cloud hosting tem capacidade infinita de expansão.

Vivo Cloud Server

Indicado para pequenas e médias empresas, o Vivo Cloud Server garante o armazenamento sem risco de arquivos, aplicações de negócios, banco de dados e plataformas de CRM. Aliás, o serviço conta com uma plataforma de gerenciamento que permite você monitorar todos os acessos à infraestrutura e status e ainda controlar o uso de recursos, tudo a partir de qualquer dispositivo (computadores ou smartphones).

Além disso, o pagamento do serviço é feito em real. Ou seja, você fica livre de custos adicionais causados pelas variações cambiais. Visite a página para saber tudo sobre a solução e verificar os custos.

Virtual Private Servers

Virtual Private Servers (VPS) é o serviço intermediário entre o servidor compartilhado e o dedicado. Uma única máquina pode hospedar diversos sites ou serviços, assim como um servidor compartilhado (apesar de o número ser menor).

Porém, a forma como são alocados os clientes é diferente. Nessa modalidade, cada negócio tem sua máquina virtual – que funciona com sistema operacional, memória e armazenamento próprios.

Nenhuma das funcionalidades é compartilhada. Isso quer dizer que não há comprometimento de performance ou estabilidade por conta da demanda de outros sites ou serviços, como no servidor compartilhado.

Outra vantagem é o acesso à raiz do servidor e a possibilidade de configuração total da máquina para se adaptar às suas necessidades.

Reseller Hosting

A modalidade reseller hosting é a revenda de hospedagem de um servidor dedicado. Algumas empresas de hospedagem permitem que você alugue esse tipo de plataforma e faça a sublocação para terceiros.

Caso seja uma empresa de tecnologia, pode oferecer esse tipo de facilidade para seus clientes. Assim, além de lucrar com o seu negócio, também pode rentabilizar com a mediação de espaços para hospedagem.

Assim como no sistema dedicado, é possível fazer toda a configuração e customizar o servidor para melhor atender às necessidades de cada projeto.

Na modalidade reseller host, você pode sublocar espaços no servidor.

Na modalidade reseller host, você pode sublocar espaços no servidor.

Colocated servers

Essa opção é para empresas que preferem – ou precisam – ter seu próprio servidor físico, mas não dispõem de espaço físico para acomodá-lo.

Se este for o caso do seu negócio, saiba que algumas empresas alugam espaço em seus data centers. Dessa forma, você pode instalar seu servidor e deixá-lo funcionando em segurança.

Também pode ser uma boa ideia para não ter que arcar com os altos custos para projetar, construir e equipar um data center. Afinal, é preciso investir em geradores, refrigeração, controle de umidade, monitoramento, pessoal especializado, entre outros.

Quer saber mais sobre tipos de servidores? Então, clique aqui!

Como escolher a solução ideal

É fundamental levar em conta diferentes quesitos antes de escolher a solução que melhor atende às necessidades da sua empresa. Assim, é possível definir com maior precisão o servidor mais adequado. Para ajudar, apresentamos a seguir uma lista das características que devem ser consideradas antes da tomada de decisão. Vamos lá:

Custos: antes de tudo, é necessário consultar o departamento financeiro e verificar qual é a verba disponível para o investimento no servidor.

Avalie também o custo-benefício de comprar (CAPEX) ou alugar (APEX). Para isso será preciso analisar uma série de fatores, como o tipo de contratação, depreciação dos equipamentos, o custo total de compra (TCO), o retorno de investimento (ROI).

Também entram no cálculo os gastos com software, suporte, manutenção e gerenciamento. Além disso, é preciso levar em consideração serviços eventuais como migração, backup e restauração de dados.

Por exemplo: os servidores partilhados são os mais em conta do mercado, mas será que eles atenderão à demanda da empresa? E para contratar mais espaço haverá um trabalho maior para mudar o plano? Tudo isso deve ser levado em consideração. Qual a regulamentação e norma da empresa para uso de servidores fora do ambiente local?

Necessidades: em seguida, verifique as necessidades. Para o que a sua empresa precisa de um servidor? Será necessário um com bastante capacidade? Quais informações serão armazenadas ali? Quem terá acesso? Essas respostas são muito importantes para orientar a sua decisão final.

Momento da empresa: entenda em qual momento a sua empresa está. Essa reflexão é importante para te mostrar por qual caminho seguir. Com isso bem claro, converse com profissionais de TI (ou alguém que entenda do assunto). É sempre importante pedir opiniões.

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
GestãoInternetTecnologia
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio