Marketing direto e marketing digital: entenda as diferenças e aplique no seu negócio

Entenda as diferenças entre marketing direto e marketing digital e saiba como implementar uma comunicação mais dirigida com o seu cliente!

01/01/2020 às 9:00

Neste artigo, você vai entender o que é o conceito de marketing direto e quais as possibilidades para implementá-lo no seu negócio. Além disso, falamos em detalhes sobre as diferenças entre o marketing direto e marketing digital, que está em alta no meio empresarial.

Marketing direto é quando você faz uma ação voltada para um público que já tem interesse no seu negócio. São ações estratégicas para aquele perfil que é o foco da sua empresa, segundo as diretrizes definidas no plano de negócio.

Marketing direto: imagem de uma dardo fincado bem ao centro de um tiro ao alvo.
No marketing direto, as ações são muito mais focadas.

No contexto histórico, ações de marketing direto estavam muito baseadas em telemarketing. Um exemplo: você preenchia o cadastro de uma loja e, então, recebia ligações com promoções e novidades.

No entanto, o universo digital ampliou as possibilidades de marketing direto. Ao longo desse texto, iremos falar sobre todas as possibilidades atuais. Contudo, antes disso, mostramos como planejar ações certeiras.

Planejamento: a base do marketing direto

Para fazer ações de marketing direto assertivas, você precisa ter em mente quem é o seu público. Além disso, é essencial saber onde ele está. E como localizar esse público? Com pesquisas de mercado e de comportamento. Esses dados coletados serão essenciais no planejamento da estratégia. É importante você captar:

  • A profissão dos seus clientes em potencial, assim consegue fazer ações específicas;
  • Interesses pessoais;
  • Renda, o que também é importante para o direcionamento de ações;
  • Idade e sexo;
  • Localização geográfica. Atualmente é possível fazer muitas ações com base no georreferenciamento.

Sabendo onde o cliente está e quem ele é efetivamente, você consegue criar ações segmentadas. Um exemplo prático: você tem um e-commerce de vinhos e, para amplificar a sua marca, decidiu criar um blog. Então, você faz um e-book com dicas sobre como escolher os melhores rótulos. Para fazer download do material, será preciso fazer um cadastro. Pronto: você tem um mailing de clientes em potencial.

Mulher segurando um pin de papel enquanto o coloca sobre um globo, também de papel.
Você precisa conhecer as características do seu público.

Essa é a base para uma ação de marketing direto. Você sabe quem é o seu cliente, como chegar até ele e o que oferecer. A partir disso, cria uma ação de e-mail marketing disparando os vinhos mais legais que estão em promoção. As chances de conversão em vendas são altas.

Pense também no meio físico, por exemplo. Você tem um café e vai lançar uma nova bebida feita com chá-verde. Então, sai na rua dando brindes (um infusor e uma caneca). Só que você acaba dando o presente para pessoas que não gostam de chá. Ou seja, a eficiência da ação vai por água abaixo.

Daí a importância de conhecer para segmentar. Você terá resultados muito melhores.

Abordagem

As informações sobre o seu público permitem fazer ações mais personalizadas. Isso porque sabendo dados como idade e profissão, por exemplo, você consegue fazer uma abordagem mais direcionada.

O tipo de linguagem, a idade visual da campanha, os horários de envio, os produtos escolhidos para a divulgação, tudo isso será definido com base no público — e no recorte que você dará para ele.

Homens trabalhando
Defina como será a abordagem com o seu público.

Aliás, essas informações também são essenciais para definir os canais que serão usados. Pense bem: se o seu público for de idosos, por exemplo, dificilmente uma ação feita por e-mail vai funcionar. O melhor seria usar o telefone.

Você precisa divulgar os seus produtos onde o seu público está. Só assim conseguirá os resultados que procura.

Possibilidades

Antes o cliente era impactado com o envio de materiais publicitários impressos, que muitas vezes eram colocados nas caixas de correios. Essa ação tem o nome de mala direta e ainda existe. Hoje o conteúdo é enviado, sobretudo, para públicos que não costumam usar a internet.

No entanto, o formato mais usado em ações de marketing direto atualmente é o e-mail marketing. Geralmente, os envios acontecem a partir de uma lista já segmentada, ou seja, para pessoas que têm interesse no setor ou em algum produto específico.

Equipe trabalhando.
O e-mail marketing é um dos formatos mais utilizados.

De acordo com uma pesquisa feita pela Convince and Convert, que presta consultoria em mídia digital nos EUA, o e-mail marketing é capaz de aumentar as vendas em até 138%. Portanto, mesmo com o avanço do marketing nas redes sociais, ainda aparece como uma ferramenta efetiva.

Outro formato é o que acontece via telefone: é o telemarketing, uma abordagem aos clientes em potencial. A evolução desse tipo de contato é o envio de mensagens por SMS e também por WhatsApp. Por serem plataformas bastante utilizadas, principalmente o app de mensagens, as ações costumam atingir o público desejado.

Por fim, temos as ações de remarketing, que também podem ser consideradas como um formato do marketing direto. Elas funcionam assim: você acessa um site, mas não compra o produto. A partir da sua movimentação, o Google entende o seu interesse por determinado item e passa a exibi-lo em diferentes páginas e plataformas digitais.

Mas e o marketing digital?

Sim, o marketing direto pode ser confundido com o marketing digital. Mas são dois conceitos diferentes. Enquanto o digital é voltado para um público mais amplo, com o intuito de divulgar a sua marca para mais pessoas, o direto atua especificamente junto às pessoas que já nutrem um interesse pela sua empresa.

Aliás, os dois são vitais um para o outro. As redes sociais, por exemplo, largamente usadas nas estratégias de marketing digital, podem captar leads para as ações de marketing direto. Por exemplo: você pode coletar e-mails a partir dessas plataformas e até mesmo analisar o comportamento dos seus seguidores. É uma boa estratégia.

Pessoa segurando um celular, com os ícones das redes sociais.
Você pode usar as ações de marketing digital dentro da estratégia de marketing direto.

Sendo assim, o marketing digital atua numa esfera mais ampla. Já o direto, como o próprio nome diz, é focado em quem está um passo a frente. Ou seja, quem demonstrou ou tem algum tipo de interesse nos seus produtos ou serviços.

Exemplo prático

Para que você possa entender a partir de um exemplo prático, uma rede que costuma fazer boas ações de marketing direto é a Domino’s Pizza. Em datas específicas, como Dia dos Namorados e Black Friday, por exemplo, a companhia costuma mandar mensagens aos seus clientes com descontos em pizzas específicas.

O mailing é o de clientes cadastrados no sitie. Ou seja, é comum os clientes receberem mensagens do tipo “oi, sumido”. São ações com uma abordagem bem personalizada e próxima!

E aí, conseguiu visualizar a diferença entre esses dois conceitos? Certamente apostar nesses tipos de ações fará toda a diferença para o seu negócio. Aliás, já que estamos falando sobre o tema, aproveite para ler um artigo sobre fidelização dos clientes. Veja também quais são as principais métricas do marketing digital.

Para arrematar essa ronda de leituras, uma boa dica é você conhecer quais são os softwares CRM mais utilizados no mercado. Também é uma ótima estratégia para garantir um atendimento mais eficiente e, assim, uma aproximação importante com o cliente.

Agradecemos a leitura e até a próxima!

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
GestãoMarketingvendas
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio