Machine Learning: use a tecnologia para garantir segurança à empresa

Saiba como o machine learning pode contribuir para proteger os dados da sua empresa. Acesse para conhecer a tecnologia e saber como colocá-la em prática!

04/01/2019 às 9:00

Machine learning quer dizer “aprendizagem de máquina”, em português. Trata-se de uma área da ciência da computação  que automatiza a análise de dados, método construído a partir dos conceitos de Inteligência Artificial. Ou seja, as informações são interpretadas inteiramente por máquinas, sem nenhum tipo de intervenção humana. No universo empresarial, implementar esse tipo de tecnologia pode ser sinônimo de segurança.

Isso porque o machine learning é capaz de evitar ciberataques, muito comuns em pequenas e médias empresas (PME’s). De acordo com um relatório feito pela Cisco, 53% das 1.816 PME’S consultadas sofreram algum tipo de falha de segurança ao longo de 2017. Quatro em cada dez afirmaram que seus sistemas foram atacados com gravidade. E ainda: 40% tiveram de ficar, pelo menos, oito horas sem trabalhar até a resolução do problema.

O que é machine learning?

O machine learning identifica possibilidades de ciberataque, o que é uma proteção importante para a empresa.

Sofrer um ciberataque, então, é algo que pode prejudicar – e muito – a rotina de trabalho. O motivo: quando isso acontece, computadores ou a própria rede da companhia são invadidos por hackers. O objetivo é espalhar vírus que danificam as máquinas e ainda roubam informações confidenciais.

Tais arquivos que contaminam os sistemas são conhecidos atualmente por malwares. Eles representam uma ameaça para os dados – e podem chegar por meio de smartphones, tablets, televisores, câmeras de segurança ou quaisquer outras máquinas.

Inclusive, o Brasil é hoje um dos países mais vulneráveis do mundo a esse tipo de problema. De acordo com a 23ª edição do estudo Internet Security Threat Report, realizado pela empresa global Symantec, o país ocupa a sétima posição da lista dos mais “atacados” virtualmente, ficando atrás apenas de Estados Unidos, China, Índia, Rússia, Alemanha e Japão.

Mas e como tecnologia de machine learning pode evitar esse tipo de problema? Contamos a seguir.

Machine learning na prática

Na prática, o machine learning  tem a capacidade de “analisar” os perfis que acessam a rede de dados ou o site da empresa. Dessa forma, estabelece um comportamento padrão. Assim, quando há algo fora do comum, esse fato logo é identificado. Se o sistema interpretar que se trata de uma situação perigosa, sugere que o “invasor” seja impedido de acessar os arquivos.

O que é machine learning?

As máquinas são capazes de interpretar os dados, sem intervenções humanas.

Essas informações, então, são enviadas à equipe de TI responsável pelo sistema. Com base nas ações sugeridas pela máquina, os colaboradores conseguem tomar uma decisão mais fundamentada, rápida e precisa.

Vantagens

A principal vantagem da análise feita pela máquina é a rapidez com que ela detecta os possíveis problemas. A quantidade também é uma característica bastante positiva, uma vez que o sistema é capaz de analisar uma infinidade de pacotes de dados individuais. Ou seja, os usuários que circulam pela rede são avaliados um a um.

Caso esse trabalho fosse feito por uma equipe de TI, seria necessário disponibilizar muitos profissionais para garantir a mesma agilidade e complexidade.

O que é machine learning?

O machine learning identifica os ataques feitos por hackers imediatamente.

No entanto, usar os conceitos de machine learning no dia a dia não quer dizer que será necessário dispensar toda a equipe de TI e substituí-la por uma máquina. Pelo contrário. O trabalho automatizado contribui diretamente para as atividades desempenhadas por esse time. O motivo é simples: as ações propostas podem servir de base para a tomada de decisões posteriores.

Assim, os profissionais conseguem usar esses dados para impedir as invasões a partir da análise já traçada. Além disso, oferece insumos para o desenvolvimento de estratégias mais consistentes futuramente.

Ferramentas

Assim como no Business Intelligence (BI), os conceitos de machine learning dependem do uso de software específicos (aliás, leia aqui uma reportagem recente que fizemos sobre BI em pequenas e médias empresas). O prêmio Best of Software Source 2018, do portal InfoWorld, listou alguns dos mais usados no universo empresarial. Apresentamos aqui os cinco principais:

TensorFlow

Utiliza o Google Cloud Bigtable, ferramenta do Google que funciona como fonte de dados. Funciona bem em dispositivos móveis, o que facilita a rotina da equipe de TI. A plataforma é uma ótima opção para empresas que estão começando, pois é gratuita. Inclusive, no site há vários tutoriais que mostram como ela funciona

Keras

Analisa a rede e identifica comportamentos suspeitos com uma grande agilidade. Usa o TensorFlow, o Theano e o CNTK2 como back-ends (ou seja, servem de base de dados). Se destaca por ser simples de usar e ter o uso gratuito. Além disso, pode ser implantado a partir de um computador, em um serviço de nuvem ou até mesmo de dispositivos móveis.

PyTorch

O diferencial do programa é a criação de gráficos em tempo real. Utiliza o Phyton como linguagem de script. Ou seja, trata-se de uma linguagem de programação bastante otimizada e com mais facilidade para interpretar os dados. Conta com uma forte coleção de redes neurais, modelos computacionais inspirado em um sistema nervoso humano, algoritmos de otimização e funções de perda.

H2O

Também com código aberto, o software é capaz de avaliar um volume grande de dados. Assim como os demais, estabelece um padrão de comportamento dos usuários e avisa, rapidamente, para que as equipes possam tomar soluções e evitar os danos provocados pelas invasões. Disponibiliza planos pagos para empresas, porém é possível usar uma versão gratuita de teste por 21 dias.

Microsoft Cognitive Toolkit

Trata-se do kit de ferramentas que serve de base para os recursos de Inteligência Artificial criados pela Microsoft. Apresenta boa capacidade de resolução de problemas e gráficos interpretativos. Intuitivo, é capaz de analisar um grande volume de dados individuais. Visite o site para conhecer os planos disponíveis.

Isso é fundamental!

Optar por qual você vai utilizar é uma decisão que não pode ser tomada sozinha. Isso porque esses programas contam com recursos muito específicos, que só um profissional de TI consegue conhecer mais profundamente. Por isso, reúna-se com a equipe responsável para avaliar os benefícios e “bater o martelo”.

Além disso, provavelmente essa pessoa será a responsável por receber os dados avaliados pela máquina. Então, é importante que ela se sinta à vontade com a ferramenta escolhida.

O que é machine learning?

Software devem ser escolhidos em conjunto com a equipe de TI, que será a responsável pelos programas dentro da empresa.

E aí, o que achou das técnicas de machine learning? São ótimas opções para implementar na empresa e, assim, impedi-la de sofrer ataques virtuais. Afinal, os dados precisam estar bem protegidos.

E continue conosco aqui no Blog Vivo Empresas para saber como usar a tecnologia a favor do seu negócio!

Aliás, fizemos uma reportagem recentemente sobre M2M, que significa machine-to-machine (clique aqui para entender como tal conceito pode facilitar o dia a dia de trabalho).

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
Banco de dadosTecnologia
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio