5 tendências tecnológicas para empresas apresentadas no It Forum X

Não conseguiu acompanhar o evento? Não se preocupe, trazemos aqui os principais pontos apresentados.

07/11/2018 às 14:00

A tecnologia é transformadora e tem o poder de modificar a vida das pessoas e de negócios. No entanto, as mudanças estão cada vez mais rápidas. E acompanhar as principais tendências para a sua empresa, pode se tornar um desafio. Pensando nisso, o It Forum X reuniu, em São Paulo, pessoas das mais variadas profissões para discutir os tópicos mais recentes de segmentos como inteligência artificial, computação em nuvem, segurança cibernética e biometria facial.

Além de mostrar o que há de mais moderno no setor de TI e que pode ser implantado no seu empreendimento, quem foi ao evento pode conferir como as empresas vêm inovando. Foram apresentadas soluções para os mais variados setores. Tudo para ganhar escalabilidade, agilidade, segurança e oferecer a melhor experiência aos usuários.

Porém, se você não pode participar do evento, não se preocupe, o Vivo Empresas Blog acompanhou os principais painéis e traz para você cinco tendências tecnológicas para empresas apresentadas no It Forum X 2018. Vamos lá?

Destaques do It Forum X

5. Ciberataques: como proteger sua empresa?

Os dados são o novo petróleo. E algo é certo, as empresas armazenam cada vez mais informações. Portanto, perder ou ter esses dados comprometidos por cibercriminosos significa um prejuízo real para qualquer negócio. De acordo com o Breach Level Index (Índice de Nível de Violação), uma base mundial de violações de dados públicos, no primeiro semestre de 2018 foram comprometidos no mundo 4,5 bilhões de registros de dados.

Tendências tecnológicas apresentadas no It Forum X.

Nos dias atuais, segurança dos dados é algo fundamental para a sua empresa.

Ou seja, a ameaça é real. E a tendência é que essa vulnerabilidade piore, segundo o especialista em soluções de segurança da HP, Antônio Lira. Uma vez que teremos cada vez mais equipamentos conectados. “Até 2020, a expectativa é que o IoT esteja em 95% do design de novos produtos eletrônicos. Portanto, até a cafeteira na sua empresa pode ser uma porta de entrada para um cibercriminoso”, esclarece.

Em outras palavras, isso significa que proteger o seu negócio de ciberataques, hoje, vai muito além de instalar um antivírus ou proteger apenas seus servidores. Com a Internet das Coisas qualquer equipamento conectado a rede pode ser usado para o roubo de dados ou informações da sua empresa.

O que fazer?

Diante disso, conforme Lira, o primeiro passo para proteger seu empreendimento é criar uma política de segurança. Depois, é preciso informar e educar seus funcionários sobre essa política. Todos os colaboradores precisam estar cientes do que podem ou não fazer para não comprometer a segurança.

Outro passo importante é tirar as senhas padrões de todos os equipamentos conectados. Além disso, como os ataques são realizados diariamente, é preciso manter os dispositivos de segurança sempre atualizados. Também é fundamental entender quais as soluções de segurança estão disponíveis nos equipamentos que a sua empresa.

Tendências tecnológicas apresentadas no It Forum X.

No stand da Vivo no It Forum X era possível tirar dúvidas sobre diversas tecnologias voltadas para empresas.

“Não é uma questão de se, mas de quando será atacado”, destaca o especialista em segurança da HP. Portanto, além todos esses cuidados, é fundamental ter um sistema potente capaz de proteger a sua empresa de ataques cibernéticos, ameaça de hackers e sequestro de dados. Nesse sentido, a Vivo tem o Vivo Segurança Gerenciada.

Essa solução da Vivo foi desenvolvida com o que há de mais avançado na tecnologia da informação e traz uma camada de segurança capaz de filtrar todo o tráfego entre a rede da sua empresa e a internet. A partir de um pagamento mensal, o produto inclui equipamento, instalação, configuração, suporte e monitoramento 24 horas por dia, sete dias por semana do centro de operações (SOC – Security Operation Center) da Vivo. Clique aqui para saber mais!

4. Os desafios do futuro do trabalho

Tendências tecnológicas apresentadas no It Forum X.

Jorge Maluf apresentou pesquisa da Korn Ferry sobre o trabalho do futuro.

Estudos realizados pela empresa de consultoria de gestão Korn Ferry indicam que vai faltar talentos. Segundo eles, até 2030, só no Brasil haverá um gap de 16 milhões de pessoas em relação à demanda. “Isso significa uma barreira de 1% ao ano no crescimento econômico do país”, alerta Jorge Maluf, Office Managing Director da Korn Ferry São Paulo.

Ainda conforme a Korn Ferry, isso acontecerá porque a tecnologia mudará de tal forma o processo de trabalho das empresas em todos os setores e as profissões, que os trabalhadores não terão tempo de acompanhar essa transformação. Para tentar superar isso, o que sua empresa pode fazer é treinar os colaboradores. Isso é o que vem fazendo a Volkswagen.

“Estamos treinando nossos funcionários. Por exemplo, engenheiros que antes apenas desenhavam, hoje usam a realidade virtual no trabalho”, revela Pablo Di Si, presidente da Volkswagen América do Sul e Brasil.

Para o presidente da Cisco Brasil, Laércio Albuquerque, a transformação também acarretará em mudanças por parte das empresas. E a melhor maneira de se preparar será abraçar a inovação tecnológica. “Hoje, com os smartphones, o escritório está na palma da mão. Podemos trabalhar de qualquer lugar e as empresas precisam entender isso e mudar suas culturas”, enfatiza.

3. Uso da biometria facial

Tendências tecnológicas apresentadas no It Forum X.

Informações do mercado também apontam que biometria facial é uma tendência.

Quando seu empreendimento realiza um atendimento ou responde um cliente pelo WhatsApp, você sabe realmente com quem está falando? Para o fundador e CEO da FulllFace, Danny Kabijo, no mundo virtual, um login e uma senha não são suficientes para garantir a identidade de uma pessoa. “É por isso que as tecnologias de biometrias estão cada vez mais utilizadas”, destaca.

Atualmente existem vários tipos de biometrias. Uma delas é a biométrica, que usa as digitais para fazer a identificação. Apesar de eficiente, ela está atrelada ao uso de um equipamento específico. Neste caso, o mais comum são os smartphones com leitura biométrica. No entanto, os celulares mais novos não possuem mais essa tecnologia embarcada. Ou seja, se a sua empresa desenvolveu algum produto que depende esse tipo de leitura para vender, poderá ter problemas no futuro. Além disso, Kabijo afirma que 10% da população mundial não tem digital ou perde com o tempo.

Além da leitura biométrica existem as leituras de retina e DNA. Porém, são processos extremamente caros e não escaláveis. Pensando nisso, surge o reconhecimento facial como uma opção rápida, fácil e segura. “A pessoa apenas tira uma selfie e pronto. É algo muito seguro, porque não dá para fraudar o rosto”, enfatiza Kabijo.

Pensando em uma empresa, por exemplo, o processo pode ser usado para substituir os tradicionais controles de ponto ou de acesso assim como autenticações e login de colaboradores. Ou seja, substituindo as senhas e crachás.

2. Progressive Web Apps são o futuro da web

Tendências tecnológicas apresentadas no It Forum X.

PWA ou app nativo. Veja p que é melhor!

Hoje quase todo negócio tem um aplicativo. Mas, conforme o diretor de Produto Caelum, Sergio Lopes, o app nem sempre é a melhor solução. Até porque o aplicativo costuma ser muito pesado e os usuários, sem muito espaço, acabam priorizando o que querem baixar – já que não podem baixar tudo que gostariam em seus smartphones.

Portanto, o primeiro passo antes de decidir se a sua empresa precisa ou não de um aplicativo é identificar se isso será ou não bom para o seu cliente. Mas e se o app não for a melhor solução, o que fazer? Bem, para Lopes a saída está no PWA (Progressive Web Apps). “Na verdade, é uma página de web com tudo que você sabe sobre web, mas que progressivamente vai ganhando poderes de app”, explica.

Por exemplo, se você construir ou transformar sua página em formato PWA, para mobile, seu site poderá ter um visual e uma navegação de app. Após o primeiro login, seu cliente poderá acessar sua página mesmo offline. E assim como um aplicativo, uma página em PWA também tem a opção de ser instalada no celular do usuário. E qual a diferença? Simples: é muito mais leve que um app!

Além de tudo isso, com o PWA ainda é possível integrar sua página com a câmera, geolocalização, entre outros hardwares do smartphone do seu cliente. Em outras palavras, isso significa que você poderá criar soluções tão tecnológicas quanto em um app.

Como por exemplo, dá para colocar um push notification para avisar seus clientes sempre que algo novo acontecer no seu site, como o lançamento de um produto ou uma promoção. E eles vão receber esse aviso, mesmo se estiverem com a aba do seu site fechada.

1. Inteligência Artificial

Tendências tecnológicas apresentadas no It Forum X.

Números relevam importância da Inteligência Artificial em cada setor do mercado até 2035.

De acordo com a Accenture, empresa global de consultoria de gestão, até 2035 a adoção da Inteligência Artificial (AI) crescerá uma média 35%. No mesmo período, por exemplo, é esperado que a AI represente 84% dos lucros no setor da Educação, 71% da Construção, 55% da Saúde e 27% dos serviços públicos.

Enquanto isso, nas 10 previsões estratégicas da consultoria Gartner, até 2022, estão relacionadas a AI. Por exemplo, a empresa prevê que até 2020 serão criados 2,3 milhões de novos trabalhos graças a Inteligência Artificial. “Não dá para negar que o futuro está na Inteligência Artificial. Se sua empresa não está trabalhando nisso, está na hora de começar”, enfatiza Roberto Oguma, gerente de vendas da Santo Digital.

E ao contrário do que pode parecer, implantar um serviço com Inteligência Artificial não é tão complicado. A base da AI é o Marchine Learning. Sobre esse conceito é importante entender duas coisas. Primeiro, as máquinas executam instruções. Mas apesar disso, são capazes de aprender. Porém, diferente dos seres humanos que aprendem por meio de experiências passadas, os computadores aprendem com os dados.

“O ponto fundamental em ter sucesso para Marchine Learning é ter um conjunto de dados grande, com pelo menos, 20 mil amostras para criar um modelo neural. Podem ser dados do CRM ou de imagens, por exemplo”, destaca Oguma.

No entanto, se sua empresa ainda é pequena ou se está começando, não tem problema. Existe uma forma mais simples e barata para implantar a Inteligência Artificial no seu negócio: os chatbots. Veja aqui o que fazer e exemplos de ferramentas para essa solução.

Agora que você já sabe quais são as tendências para o setor de TI, prepare-se pra tornar a sua empresa mais tecnológica. E siga conosco para saber mais sobre inovação no mundo dos negócios!

Gostou da notícia?

campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio