Blockchain: entenda e saiba usar em seu negócio

A tecnologia pode ajudar a melhorar os resultados das empresas. Veja como!

15/02/2019 às 11:00

Blockchain – a tecnologia por trás das moedas virtuais como o bitcoin – já não é mais uma tendência, como há dois anos. Mas uma realidade que está movendo negócios no mundo inteiro. Quer saber se ela pode ser útil para a sua empresa? Então continue lendo para entender o que é o blockchain. Você vai conhecer as vantagens e algumas oportunidades que essa tecnologia inovadora tem a oferecer.

Saudado como destinado a “moldar o futuro” no Fórum Econômico Mundial, o blockchain pode ajudar a melhorar os resultados das empresas. E não apenas das grandes. Afinal, pequenos e médios negócios também buscam o que a tecnologia oferece. Isto é: reduzir custos, ter mais segurança e confiabilidade, mais agilidade e transparência nas operações. Não à toa, o estudo TI Inside Blockchain apontou que 63% das empresas brasileiras pretendem desenvolver projetos usando essa tecnologia em até 24 meses.

blockchain é a tecnologia por trás das criptomoedas.

Blockchain é a tecnologia por trás das criptomoedas.

E é por isso também que, para muitos analistas, profissionais e acadêmicos, o potencial disruptivo do blockchain é tão grande. Inclusive, consideram essa tecnologia da corrente de blocos descentralizada como a maior inovação surgida desde a criação da internet. Isso porque, apesar de ter ficado conhecida em função das criptomoedas, vai além e pode beneficiar outros processos e operações.

O que é blockchain?

Blockchain é uma cadeia de blocos que fica armazenada, com seus registros invioláveis. O sistema funciona como uma espécie de livro-razão distribuído na rede que guarda registros de operações. Esse armazenamento dos registros ocorre em sequência e de forma permanente. Assim, é imutável e não permite fraudes.

Qualquer transação realizada é validada e registrada, tornando-se disponível para ser acessada em qualquer dispositivo. Por isso, a tecnologia aporta velocidade, agilidade, transparência e segurança para as negociações. E, como você pode ter percebido, não precisa de intermediários ou uma autoridade validadora central. Portanto, o blockchain é um modo de realizar operações de forma mais rápida, com muito mais transparência e segurança.

Por conta dessas características, diversas instituições, financeiras ou não, estão experimentando a tecnologia com muitas finalidades. De organizações tradicionais às fintechs, grandes companhias mas também pequenas e médias empresas investem ou planejam investir no blockchain.

Blockchain: todos veem o que acontece, sem supervisão externa.

Blockchain: todos veem o que acontece, sem supervisão externa.

Como o blockchain trata de uma estrutura aberta e autorregulada, já que todos os envolvidos podem ver tudo que acontece, não precisa de controle ou supervisão externa. Por isso, é também chamado de protocolo de confiança. Assim, qualquer empresa pode oferecer produtos ou serviços de valor para diversos clientes em potencial diretamente. Como diz um artigo no BlockchainMeeting, “A capacidade de armazenar e carimbar com data/hora todos os tipos de dados de uma forma que ninguém possa apagar, censurar e editar é muito mais útil do que muitos imaginam.”

Como o blockchain funciona?

Um blockchain é uma rede formada por blocos de dados seguros e encadeados. Cada bloco, além do conteúdo, traz uma impressão digital. Esse conteúdo pode ser qualquer troca/transferência de ativos digitais – no caso das moedas virtuais, é uma operação financeira. O bloco seguinte trará o seu conteúdo próprio, a impressão digital do bloco anterior e, baseada nesses dois dados, a sua impressão digital. E a corrente segue assim.

Essa impressão digital é o hash, que é basicamente um código de números e letras representando os dados inseridos. Isto é, o conteúdo. Assim, se o conteúdo é alterado, o hash também muda. E como cada bloco traz o hash do bloco anterior, não há como fraudar os registros. Isso porque qualquer alteração é detectada e inviabilizada.

É importante entender que blockchain não é mágica.

É importante entender que blockchain não é mágica. É preciso sabre onde e como usar.

Blockchain serve para tudo?

Apesar das vantagens que oferece, o blockchain não é uma solução mágica para qualquer problema de negócio. Se as questões precisam de uma resposta simples, afirmativa ou negativa, a tecnologia pode ser de grande ajuda. Múltiplos participantes precisam trocar informações ou valores, as trocas têm de ser confiáveis, verificáveis, em um processo ágil e seguro? Ótimo, então essa tecnologia pode ser uma alternativa.

Pense em uma empresa que realiza entregas, por exemplo. Um blockchain pode servir para rastrear onde estão as encomendas, checar pedidos, horários e valores. A tecnologia pode ser, ainda, uma boa maneira de criar uma rede com fornecedores, automatizando os contratos em uma transportadora.

A Holanda, com seus milhões de ciclistas, vem usando blockchain e IoT para combater o roubo e facilitar os procedimentos de seguro de bicicletas empregando cadeados com sensores. O registro facilita a localização das bicicletas e também agiliza a concessão do seguro, pois permite verificar se o ciclista realizou todos os procedimentos, quando e onde os realizou.

Blockchain: cada dispositivo participante é um nó da rede.

Holanda vem usando blockchain para combater furto de bikes.

Entretanto, a tecnologia apenas será insuficiente quando houver a exigência de interpretações e respostas com mais complexidade. Por exemplo: em qualquer situação envolvendo questões de regulamentação e análises jurídicas, a inteligência humana não pode ser dispensada. Assim, nem sempre o blockchain será a melhor alternativa.

Blockchain no Brasil

No Brasil, o blockchain vem despertando atenção. Para ter uma ideia, no ano passado, a pesquisa TI Inside Blockchain mostrou que 63% das empresas no país têm intenção de fazer projetos com a tecnologia e 32,5% consideração a possibilidade. Apenas 4,5% das respostas foram negativas.

O mesmo estudo aponta finanças, meio de pagamento e moedas digitais como áreas mais citadas pelos respondentes para utilizar o blockchain, com 46,3%. Depois aparecem gestão de contratos inteligentes, e segurança e gestão de identidade, com 35,8%. A seguir vêm cadeias integradas de negócios (32,8%), gestão de dados/banco de dados (29,9%) e distribuição e logística (19,4%).

Blockchain pode ser usado em vários setores.

Blockchain pode ser usado em vários setores e negócios.

Gestão de compra, gestão de estoque/ativos e soluções colaborativas/comunidade foram as áreas citadas por 17,9%. A seguir, administração e contabilidade (13,4%), serviço de atendimento ao cidadão (11,9%) e controle e gestão de administração pública (7,5%). Completando a lista vêm plataformas de aplicações financeiras para clientes, transporte público, comércio, automação de redes de energia elétrica, projetos de inovação para clientes, saúde e energia, e gestão de penitenciárias, todos com 1,5%.

Blockchain: afinal, usar ou não?

Como vimos até agora, o blockchain pode ser útil em diversas áreas. E como já foi dito, o ponto de partida será o seu problema de negócio. Ele é a demanda a ser analisada para decidir se a tecnologia pode ou não ajudar a resolvê-lo.

O que você precisa solucionar? O que você quer melhorar, mudar, aperfeiçoar, agilizar? E se o blockchain puder trazer ainda mais valor, otimizar seus processos e criar uma experiência melhor para o seu consumidor, por que não testar? Agora que você conhece mais sobre o assunto, pense nas oportunidades que você pode encontrar.

Conte sempre com o Blog Vivo Empresas para saber mais sobre tecnologia e novas ideias de negócios. E como estamos falando da tecnologia por trás das criptomoedas, aproveite para saber mais sobre o uso da moeda virtual como pagamento. Continue  nos acompanhando para ter sempre informações relevantes para inovar e crescer no seu negócio.

Gostou da notícia?

Veja mais sobre
TecnologiaTendências
campo obrigátório

Cadastro efetuado com sucesso!

Em breve você receberá os melhores conteúdos para ajudar a gerenciar, expandir ou inovar o seu negócio